John McClellan

John McClellan


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

John McClellan nasceu em Sheridan, Arkansas, em 25 de fevereiro de 1896. Ele estudou direito e foi admitido na ordem em 1913. Durante a Primeira Guerra Mundial, McClellan serviu no Exército dos Estados Unidos e alcançou o posto de primeiro tenente no Signal Corps .

Após a guerra, McClellan estabeleceu-se como advogado em Malvern, Arkansas. Em 1927, foi nomeado promotor do sétimo distrito judicial de Arkansas.

Membro do Partido Democrata, McClellan foi eleito para o Senado e assumiu seu cargo em janeiro de 1939. Nos 40 anos seguintes, McClellan serviu no Comitê de Despesas, Comitê de Operações Governamentais e Comitê de Dotações.

McClellan também foi presidente do Comitê de Investigações Permanentes. Em 24 de junho de 1962, McClellan anunciou que seu comitê investigaria as atividades de Billie Sol Estes. Em 27 de julho, uma testemunha testemunhou que Lyndon B. Johnson estava recebendo uma redução dos subsídios agrícolas federais que Estes vinha obtendo.

O julgamento de Estes começou em outubro de 1962. John Cofer, que também era advogado de Lyndon Johnson, recusou-se a colocar Estes no banco das testemunhas. Estes foi considerado culpado de fraude e condenado a oito anos de prisão. Os processos federais contra Estes começaram em março de 1963. Ele acabou sendo acusado de fraude relacionada a hipotecas de mais de US $ 24 milhões. Estes foi considerado culpado e condenado a quinze anos de prisão.

O Comitê Permanente de Investigações continuou a examinar o caso de Estes. O presidente John F. Kennedy começou a considerar a retirada de Lyndon B. Johnson como seu companheiro de chapa na próxima eleição presidencial. De acordo com Barr McClellan, Edward Clark decidiu que essa investigação deveria ser encerrada. McClellan afirma que Clark recrutou Mac Wallace para organizar o assassinato de Kennedy. Quando Johnson se tornou presidente, ele conseguiu encerrar as investigações do Senado sobre Billie Sol Estes e Bobby Baker.

John McClellan morreu em Little Rock, Arkansas, em 28 de novembro de 1977.


John J. McClellan

John Jasper McClellan, Jr. (20 de abril de 1874 - 2 de agosto de 1925) [1] serviu como organista-chefe do órgão no Tabernáculo de Salt Lake de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias de 1900 a 1925.

McClellan nasceu em Payson, Território de Utah. [2] Aos onze anos, McClellan servia como organista da igreja em Payson. O pai de McClellan, também John J. McClellan, serviu como prefeito de Payson de 1887 a 1890. [3]

Em 1891, McClellan foi para Saginaw, Michigan, onde estudou com Albert W. Platte. [4] Ele então foi para o Conservatório de Ann Arbor, onde estudou com Johann Erich Schmaal. Ele também estudou com Alberto Jonas enquanto estava lá. Ele serviu como organista da Igreja Católica de St. Thomas enquanto estava em Ann Arbor. Ele também atuou como pianista do Ann Arbor Choral Union. [4]

Em 1896, McClellan voltou para Utah, onde ensinou música no LDS College e na Brigham Young Academy (o precursor da Brigham Young University). Foi nessa época que McClellan se casou com Mary Douglass. Eles eventualmente se tornaram pais de cinco filhos. [2] [4] Ele também atuou como pianista da Salt Lake Opera Company.

Em 1899, McClellan foi para Berlim, Alemanha, onde estudou com Xaver Scharwenka e Ernest Jedliczka. Enquanto em Berlim, McClellan editou e publicou uma nova edição do hinário SUD em alemão. [4]

McClellan se tornou o organista do Tabernáculo de Salt Lake em 1900. Nessa posição, ele acompanhou o Coro do Tabernáculo Mórmon e inaugurou os recitais de órgão semanais gratuitos no tabernáculo.

Na edição em inglês de 1985 do hinário SUD, a música "Sweet Is the Work" (hino # 147) foi composta por McClellan.

McClellan era membro do Comitê de Música da Igreja da Igreja SUD quando esta foi formada. [5]


Uma História da Família Americana

John McClellan, Sr.

Os filhos de John provavelmente incluíam:

Abraham McClellan,
John McClellan,
William McClellan (casou-se com Barbara Walker em 1766) e
Mary McClellan

Em 1774, Abraham McClellan estava na Looney's Company e ele assinou a Petição de 1777.

William McClellan nasceu por volta de 1738 na Virgínia. Seus pais eram John e Martha McClellan.

Ele se casou com Barbara Walker.

Os filhos de William e Barbara incluíam:

John McClellan (1768, casou-se com Mary Wallace),
Abraham McClellan (1770),
Samuel McClellan (1773, casou-se com Rachel McCampbell e Ann Twitty),
Elizabeth McClellan (1776, casou-se com James Looney)
Anna McClellan (1779, casou-se com Samuel Carrick),
William McClellan (1779, casado com Elizabeth Sevier),
James McClellan (1781, casado com Jane Patterson Taylor),
David McClellan (1783, casou-se com Ruth Hawkins).

Em 1793, John McClellan era um alferes da milícia do condado de Sullivan.

Em 1607, a London Company estabeleceu Virgínia como a primeira colônia inglesa permanente do Novo Mundo.

a partir de Os Anais do Tennessee por James Gettys McGready Ramsey

No dia 13, [agosto de 1794], o tenente McClelland, que tinha com ele trinta e sete homens da companhia do capitão Evans, foi atacado no caminho de Cumberland, perto de Crab-Orchard, a dezoito milhas de South-West Point, por um grupo de creeks , consistindo em mais de cem guerreiros ele fez uma defesa corajosa e militar, duas vezes repelindo os gregos, mas foi finalmente obrigado a recuar, com a perda de quatro homens mortos, um ferido, quatro desaparecidos, trinta e um cavalos, trinta e oito selas e freios, cobertores, sobretudos e provisões.

Do lado dos Creeks, a perda não foi apurada, mas pela obstinação e bravura da defesa e pelo relatório do Tenente McClelland e outros, havia motivos para acreditar que eles perderam de doze a dezesseis anos, o comandante de Creek foi visivelmente ousado, e foi contado entre os mortos.

Os homens brancos que foram mortos, foram Paul Cunningham, Daniel Hitchcock, William Flennegan, Stephen Renfroe Abraham Byrd foi ferido os quatro homens que faltavam no destacamento após a ação, depois chegou a South-West Point. Guilherme Lea, um deles, chegou no dia 18 e relatou que havia sido feito prisioneiro pelos índios e deles havia fugido.

a partir de História do Tennessee

William McClellan, agricultor, nasceu no condado de Sullivan em 14 de outubro de 1809, filho de Abraham e Nancy (Moss) McClellan, o ex-nascido neste condado em 1788, filho de Abraham, Sr., um escocês, cuja ocupação era a agricultura.

O pai [Abraham McClellan], um fazendeiro proeminente, foi senador estadual por dois mandatos e membro da convenção para revisar a constituição estadual. Ele esteve na guerra indiana de 1836 e, no ano seguinte, tornou-se congressista e cumpriu três mandatos, durante os quais nosso súdito esteve com ele em Washington como seu secretário particular.

Em 1866 ele morreu após vários anos de vida aposentado. A mãe [Nancy Moss] nasceu em 1788 neste concelho. Os pais eram de origem irlandesa.

George R. McClellan nasceu em 1816. Seus pais eram Abraham McClellan e Nancy Moss.

Fonte: Sullivan histórico de Oliver Taylor (1906) - transcrito por Tammy Clark

George R. McClellan era um soldado pronto - o veterano de três alistamentos no exército.

Ele nasceu no riacho Beaver em 1815 - foi criado em uma fazenda e frequentou as melhores escolas do município, adquirindo uma boa educação. Com a idade de doze anos ele entrou no Washington College com a intenção de completar sua educação, mas houve uma chamada para tropas para ajudar na remoção dos Cherokees [!] de suas casas no leste às terras distribuídas no Território Indígena e ele se alistou.

Em 1847, veio outra chamada para homens e ele reuniu uma empresa em Blountville. O melhor meio de transporte naquela época era o mar, então ele carregou sua companhia pelo Mississippi até Nova Orleans, de onde cruzou o Golfo do México. Nesta guerra ele se tornou coronel dos voluntários do Quinto Tennessee e prestou muito serviço duro, estando na batalha de Chapultapec, onde tantos foram mortos e capturados. Ele entrou no México com as forças vitoriosas sob o general Scott.

Quando esta guerra acabou, ele retornou e seu regimento foi dispensado com honra em Memphis, em 28 de julho de 1848. Na época de sua morte, o Coronel McClellan tinha a distinção de ser o último oficial de campo da guerra.

Em 1857 ele foi nomeado, com o juiz Samuel Milligan, um comissário do Tennessee para remarcar a linha divisória entre o Tennessee e a Virgínia.

Em 1859 foi eleito senador estadual, cargo que ocupou no início da Guerra Civil.

Ele se alistou novamente, organizou a quarta cavalaria do Tennessee e estava na batalha de Greasy Cove. Ele estava com Bragg em Knoxville e com Zollicoffer quando aquele escritório foi morto, prestando um serviço valioso ao restaurar a segurança entre os homens e escoltá-los até Nashville.

Ele então se juntou ao general Forrest e participou da Batalha de Shiloh em 1862. Quando esta batalha acabou, ele foi com uma tropa de soldados reunir seus homens feridos. Ao cruzar o capitão Gage do décimo quinto Mississippi, em estado de morte, ele deu ordens: "Leve este homem para o outro lado da colina e peça aos meus cirurgiões para cuidar dele." Ao ser examinado, descobriu-se que uma bola atingiu um lenço de seda que o capitão carregava no bolso e a carregou inteiramente através de um pulmão. Os cirurgiões W.T. Delany e ______ Cate puxaram o lenço, trazendo a bola com ele, e conseguiram salvar sua vida.

No final da guerra, ele se retirou para sua fazenda, a leste de Blountville, com o espírito e a fortuna quebrados.

Poucos anos depois, ele foi escolhido membro do tribunal do condado e posteriormente eleito presidente do tribunal, ocupando o cargo por vários anos.

Ele se entusiasmou com boas estradas e quando o senador estadual ofereceu sua influência na obtenção de mão de obra de presidiários para construí-las. A sugestão resultou em uma polêmica jornalística entre ele e o Rev. William Robeson, este último se opondo a nós dos condenados por motivos que tornavam o movimento impopular, e por isso foi abandonado.

O governador Marks o nomeou um dos comissários das ferrovias do estado. Durante a primeira administração de Cleveland, foi nomeado coletor adjunto de receitas internas.

Embora o coronel McClellan não possa ser classificado na lista de nossos maiores soldados, ele estava disposto. Sempre que o condado chamava tropas, ele respondia "aqui".

Nenhum homem serviu por mais tempo ou em mais funções na vida pública do condado do que ele. Ele nasceu e foi criado - viveu e morreu como um homem do condado de Sullivan.

o Cherokeeeram povos indígenas que viviam nas montanhas do sul dos Apalaches. Os europeus americanos chamavam suas cidades no leste do Tennessee de Overhill Towns. As cidades incluíam Chota, Tellico e Tanasi.

Em 1776, o Cherokee planejou expulsar os colonos do Distrito de Washington. Os colonos foram avisados ​​e pararam o primeiro ataque na Estação de Heaton. O segundo ataque foi interrompido no Forte Watauga. Em resposta a esses ataques, a milícia queimou Tuskegee e Citico.

Em 1780, enquanto a milícia estava ausente na Batalha de Kings Mountain, os Cherokee invadiram os assentamentos. Quando a milícia voltou, os homens do coronel John Sevier derrotaram os Cherokee em Boyd's Creek e destruíram a maioria das cidades restantes.


[Declaração do Juiz John McClellan Marshall]

Texto do Juiz John McClellan Marshall do 14º Distrito sobre a decisão a favor da Dallas Gay Alliance contra o Parkland Hospital.

Descrição física

Informação de Criação

Criador: desconhecido. 19 de maio de 1988.

Contexto

Esse texto faz parte da coleção intitulada: Coleções LGBT e foi fornecida pelas Bibliotecas da UNT Coleções Especiais ao Portal para a História do Texas, um repositório digital hospedado pelas Bibliotecas da UNT. Já foi visto 281 vezes, sendo 13 no último mês. Mais informações sobre este texto podem ser vistas abaixo.

Pessoas e organizações associadas à criação deste texto ou ao seu conteúdo.

O Criador

Fornecido por

Bibliotecas UNT Coleções Especiais

O Departamento de Coleções Especiais coleta e preserva materiais raros e únicos, incluindo livros raros, histórias orais, arquivos universitários, manuscritos históricos, mapas, microfilmes, fotografias, arte e artefatos. O departamento está localizado na Biblioteca Willis da UNT no quarto andar da Sala de Leitura.

Entre em contato conosco

Informações descritivas para ajudar a identificar este texto. Siga os links abaixo para encontrar itens semelhantes no Portal.

Títulos

  • Título principal: [Declaração do Juiz John McClellan Marshall]
  • Título da série:Parkland Lawsuit, 1988

Descrição

Texto do Juiz John McClellan Marshall do 14º Distrito sobre a decisão a favor da Dallas Gay Alliance contra o Parkland Hospital.


John McClellan

Ближайшие родственники

Sobre o capitão John McClellan, Jr.

Um Patriota da Revolução Americana para VIRGÍNIA com o posto de PRIVADO. DAR Ancestral #: A075039

Capitão John McCLELLAN, Jr.

Nasceu em 1745 no Condado de Lancaster, Pennsylvaniamap

Filho de [pai desconhecido] e [mãe desconhecida]

Marido de Sarah Lowry & # x2014 casou-se em 9 de janeiro de 1770 em Mercersburg, Condado de Franklin, Pennsylvaniamap

Morreu em 29 de dezembro de 1776 em Fort McClellan, Royal Springs, Condado de Kentucky, Virginiamap

Gerente de perfil: Gary Dickey mensagem privada [enviar mensagem privada]

Última modificação em 17 de abril de 2014.

Esta página foi acedida 282 vezes.

Conteúdo [ocultar] & # x20221 Biografia & # x20221.1 Nome & # x20221.2 Referência & # x20221.3 Evento & # x20221.4 Enterro & # x20221.5 Nota & # x20221.6 ID do usuário & # x20221.7 Dados alterados

Esta biografia foi gerada automaticamente por uma importação GEDCOM. [1] É um rascunho e precisa ser editado.

Nome: John / McCLELLAN / Sufixo do nome:, Jr. Prefixo do nome: Capitão [2] [3] [4] O sufixo, Jr. não é tradicional e pode ser muito longo para o sufixo WikiTree.

Evento: Tipo: Data de entrada: 1775 Local: Para Kentucky

Enterro: Local: Georgetown, Scott County, Kentucky

Observação: # N829 Observação: # N405 Observação: # N938

ID do usuário: BBEE746128C143F58B5D9A1C71C6A18DA23D

Dados alterados: Data: 2 de dezembro de 2006 Antes da importação, este registro foi alterado pela última vez em 2 de dezembro de 2006.

1. & # X2191 McCLELLAN-588 foi criado por Gary Dickey por meio da importação de DadsFamily.ged em 13 de abril de 2014. Este comentário e citação podem ser excluídos depois que a biografia for editada e as fontes primárias forem incluídas. 2. & # X2191 Fonte: # S181 3. & # X2191 Fonte: # S189 4. & # X2191 Fonte: # S156 & # x2022 Fonte: S156 Título: censo de 1790, Condado de Franklin, Pensilvânia Pg. 113 Imagem 5 Repositório: Repositório eletrônico: www.ancestry.com & # x2022 Fonte: S181 Título: E-mail de David G. Miller - [email protected] - 14/4/2002 e 16/6, 20, 23 / 2002 Repositório: Eletrônico & # x2022 Fonte: S189 Título: Site - David G. Miller - [email protected] - 21/06/2002 Repositório: Repositório Eletrônico: http://awt.ancestry.com/cgi-bin/ igm.cgi? op = REG & ampdb = dgm & ampid = I2925

Nota N405 migrou para KY em 1790 de PA descendo o rio Ohio para Louisville. Em seguida, procedendo através de Bardstown, eles cruzaram o Kentucky na foz do rio Dick e continuaram até Lexington, onde alugaram um terreno e permaneceram até 1792. Eles então se mudaram para o novo assentamento perto de Georgetown. O Dickey provavelmente seguiu este mesmo curso. Em Kentucky, os Dickeys estabeleceram-se em Scott Co., cerca de 4 milhas a noroeste de Georgetown, em McConnell's Run, um afluente do North Fork do rio Elkhorn. Suas fazendas, escolhidas de um trato reservado a John Lowry em 1791, situavam-se ao longo do que, nos primeiros dias, localmente era chamado de & quotFour Sister's Run & quot, um apelido dado à ponta mais a sudeste de McConnell's Run, por Joseph Burch, o bairro geógrafo, porque as quatro irmãs McClellan viviam naquele ramo. Essas irmãs McClellan eram esposas de WIlliam Dickey, Hugh Dickey, Samuel Galloway e George Galloway. Suas fazendas ficavam a uma curta distância ao norte das "Grandes Travessias", as águas rasas do Rio Elkhorn, onde búfalos em grande número costumavam cruzar o rio. Nas proximidades estão Blue Spring, a segunda maior fonte do condado, e Stamping Ground Pike. De acordo com o testamento de John McClellan, esse filho John foi morto em Kentucky. John, o filho de John, recebeu 40 libras de dinheiro legal da Pensilvânia de seu avô, John McClellan, em seu testamento. Nota N829 O forte da fronteira, Estação de McClellan, foi nomeado após John. Ele foi morto defendendo este forte em 29 de dezembro de 1776. Nota N938 Linda, sinto muito, não respondi totalmente às suas perguntas. Meu ancestral James McClellan nasceu em ABT. 1769 (1763-9?), Na Irlanda. Sua esposa era Ann Giffin. Ann era filha de William Giffin (pai) e Hannah Wilson. Eu acredito que você está me fazendo consertar algo aqui. uma. Minha primeira fonte para esta linha é um arquivo ancestral SUD b. Minha segunda fonte é & quotMcClelland and His Men & quot de Samuel M. Wilson e um livro & quotMcClelland-Harper Settlers in the Wabash Valley & quot de Eliza. Brevoort [em conjunto] c. Minha terceira fonte é um livro & quotGenealogical Data related to the Compton, McClellan, Boyd, & amp Probasco Families. Ao revisar isso depois de receber seu e-mail, acho que dei a James Sênior, b. 1763-4 para os pais errados. Provavelmente fui levado a esse erro pela maneira narrativa em que foi escrita "." E acredito que reconheci o erro potencial na época, mas. O James McClellan que era casado com Nancy Sinclair nasceu em 1764 (1763-4), era, em vez disso, filho de John McClelland e Margaret Criswell, e irmão de John que se casou com Sarah Lowry. *** Antes de encontrar o link Sinclair, este James apareceu para mim como & quotdesligado & quot para esposa e descendentes. Eu pensei que ele poderia ser o mesmo (meu) James. Minha designação para esta linha é & quotthe John McClelland / Margaret Criswell & quot line. Esta é uma linha que me interessa há algum tempo. John, que se casou com Sarah Lowry, é John McClelland de & quotMcClelland and his Men & quot, que foi o pioneiro de & quotMcClelland's Station & quot em & quotRoyal Spring & quot então identificado como na Virgínia, atualmente Georgetown KY. Eu estive lá ! John nasceu por volta de 1745. Os outros de & quotHis Men & quot eram: seus irmãos: Alexander, Benjamin, William um filho, Abraham McConnells: William, Andrew, Francis Sênior, Francis JR .: Charles LeCompte David Perry Stephen e John Lowry Robert Patterson Sterritt James Templeton James Warnock Edward Mitchell Isaac Greer Joseph McNutt John Floyd Thomas Hanson SWilliam Nash Rederick McCrae Robert Todd Edward Worthington Charles White John Andrew Miller Richard e Joseph Wilson e John Gabriel Jones. [pelo Monumento]. Sarah Lowry McClellan casou-se com Joseph Wilson depois que seu primeiro marido, John, morreu em 1777, de ferimentos indianos em 29 de dezembro de 1776. O ataque foi determinado como uma Batalha da Guerra Revolucionária. Além disso, e isso pode gerar ondas adicionais, It, da minha fonte & quotb. & Quot, parece que John McClellan teve apenas os seguintes filhos: Margaret, que se casou com John Sterrett Abraham, seu herdeiro legal b. 1770 Polly e John b. ? fez testamento no condado de Greene, 1806. Filhos de Sarah, viúva de John e Joseph Wilson: Joseph e Sarah. Joseph Wilson teve filhos com uma esposa anterior: John, Samuel e Peggy Wilson. Portanto, agora acredito que houve um filho de John e Sarah Lowry. Além disso, James McClellan Jr., filho de James McClellan Sr. e Nancy Sinclair nasceu em 21 de agosto de 1788. Aparentemente consistente com a data de nascimento de James McClellan Sr. de 1763-4. Também estou interessado em uma linha que designo como & quotthe John McClellan / Catherine Buchanan Huston line & quot. Nessa linha também parece haver um James & quotdesligado & quot. Existe um & quotPedigree & quot de SUD que mostra os pais de meu James como John McClellan / Nancy Gill. Estou usando as informações com reservas sujeitas a detalhes adicionais. Nota: *** Estou fazendo uma correção em meu banco de dados e sugiro que os destinatários deste e-mail possam desejar fazer o mesmo, se você tiver usado as informações errôneas que forneci anteriormente. Eu desculpo. Cal McClellan Obrigado, Linda, por sua diligência em encontrar esse erro e chamar minha atenção para ele. Se alguma das opções acima não fizer sentido, por favor, me avise.


LTC John Barnhart McClelland

Ближайшие родственники

Sobre o tenente-coronel John Barnhart McClelland

LTC John Barnhart McClelland BIRTH & # x00091734 Lancaster County, Pennsylvania, USA MORTE & # x00095 Jun 1782 (idade 47 & # x201348) Crawford, Wyandot County, Ohio, USA BURIAL & # x0009 Tent Presbyterian Cemetery Fairchance, Fayette County, Pensilvânia, EUA Adicionar ao mapa PLOT & # x0009 Morto durante a Expedição Sandusky como seu comandante, Coronel William Crawford.

De sua página da Wikipedia em inglês:

John B. McClelland (1734 [1] [2] [3] [4] & # x20131782 [5]% 29 foi um oficial da Guerra Revolucionária Americana. Ele foi capturado por índios americanos durante a Expedição Crawford e torturado até a morte em a cidade Shawnee de Wakatomika, que atualmente está localizada em Logan County, Ohio, a meio caminho entre West Liberty, Ohio e Zanesfield, Ohio. [6]

McClelland nasceu no Condado de Lancaster, Pensilvânia, e depois de se mudar para o Condado de Westmoreland, Pensilvânia e ocupar um pedaço de terra em Franklin Township, [7] viveu naquela parte que ficava no Condado de Fayette, Pensilvânia em sua organização em 1783. [8 ] [9] Ele se casou com Martha Dale em 12 de novembro de 1759 e foi o fundador ou co-fundador de McClellandtown, Fayette County, Pensilvânia. [10] [11]

Em 1776, o forte de McClelland, um dos primeiros postos avançados do exército, foi construído em um penhasco próximo ao Royal Spring Park, em Georgetown, Kentucky. O forte foi abandonado em 1777, no entanto, depois que os ataques indígenas aumentaram em frequência e gravidade. John B. McClelland pode ter estado envolvido no levantamento do terreno, ou possivelmente na construção de uma cabana de toras nas proximidades. Porém, é mais provável que um primo, com o nome de John McClelland (1745 & # x20131776), tenha sido realmente o responsável. Um monumento aos soldados caídos da Revolução no Condado de Scott agora marca o local. [12] [13]

John B. McClelland foi membro da comissão para a Constituição da Pensilvânia de 1776, e mais tarde representou o Condado de Westmoreland na Assembleia Geral da Pensilvânia. [14] A Convenção se reuniu na Filadélfia, em 15 de julho de 1776, para formar uma constituição e definir um governo para o estado da Pensilvânia. Um comitê de cidadãos proeminentes se reuniu no Carpenter's Hall, Filadélfia, em 15 de junho de 1776, a fim de fazer os preparativos para uma convenção que antecipava a separação das colônias da Grã-Bretanha. Os participantes foram solicitados pelo comitê "a escolher essas pessoas apenas para atuar por eles na convenção seguinte, que se distinguem por sua sabedoria, integridade e um firme apego às liberdades desta província." Em cumprimento a esta recomendação, os delegados foram escolhidos em 5 de julho , 1776, e os oito delegados à convenção eleitos para o condado de Westmoreland foram John Moore, Edward Cook, James Perry, James Barr, James Smith, John Carmichael, John McClelland e Christopher Lobingier. [15]

No início da Guerra Revolucionária, McClelland foi nomeado para um comitê de cidadãos para obter armas e munições para a defesa da nova nação em dificuldades. Ele se alistou no Quarto Batalhão da Pensilvânia, em 28 de janeiro de 1776, [16] que trabalhou em conjunto com o Exército Continental durante a guerra. McClelland mais tarde se tornou um capitão do Primeiro Batalhão da Milícia Westmoreland, uma unidade que foi proeminente no Cerco de Yorktown. [17] [18] Para esclarecer, foi na verdade seu filho, John McClelland (1766 & # x20131849), que ajudou a ilustrar a natureza injusta dos impostos cobrados durante a Insurreição do Whisky. [19]

Oficiais da Milícia Westmoreland se reuniram em 18 de junho de 1781, na casa do Capitão John McClelland, em Big Sewickley Creek, e por maioria votaram a favor do auxílio ao General George Rogers Clark. Foi decidido fornecer 300 homens da Milícia do Condado para se juntar ao exército do General Clark contra os selvagens de Ohio, para o benefício imediato da fronteira de Westmoreland, apesar do fato de que a real intenção de Clark era conquistar o posto britânico em Detroit. [20] Embora George Washington tenha concordado em transferir um pequeno grupo de regulares para ajudar Clark, o destacamento foi derrotado em agosto de 1781 antes que eles pudessem se encontrar com Clark, efetivamente colocando um fim à campanha.

Em 1782, os índios da fronteira aliaram-se aos britânicos e começaram a atacar os colonos. McClelland foi comissionado um major, [21] e feito o terceiro no comando de uma expedição, liderada pelo coronel William Crawford, que pretendia pôr fim aos ataques indígenas contra colonos americanos naquela região. Na verdade, John McClelland foi um dos quatro majores eleitos para a Expedição Crawford. Os outros Majors incluíram David Williamson (Pensilvânia) do Condado de Washington, Pensilvânia, Thomas Gaddis de Westmoreland (agora Fayette), [22] e James Brenton também do Condado de Westmoreland (agora parte do Condado de Washington, Pensilvânia). [23] Naquela época, McClelland certamente não era novato em assuntos militares, tendo sido tenente-coronel do Quarto Batalhão da Milícia do Condado de Westmoreland, para o qual foi eleito em 3 de janeiro de 1778. [24] Ele era um oficial corajoso e eficiente, e muito respeitado como cidadão. Sua eleição como um dos oficiais-generais da expedição, em Mingo Bottom (atual Mingo Junction, Ohio), foi prova da confiança depositada nele pelos voluntários, muitos dos quais ele conhecia pessoalmente. [25]

Ao saber que um destacamento britânico de Detroit estava prestes a unir forças com as forças dos índios Wyandot, e que um grande bando de guerreiros Shawnee também apareceu ao sul, o coronel Crawford iniciou uma retirada, com o major John McClelland liderando o caminho. No entanto, o exército voluntário logo foi atacado pelos índios Shawnee e Delaware e sofreu gravemente. McClelland foi ferido e caiu de seu cavalo. Chamando John Orr, que estava por perto, disse-lhe para pegar seu cavalo (Orr estava a pé) e limpar-se, o que ele fez. [26] Orr depois relatou que ouviu vários dos homens que estavam no conflito dizerem que os cavaleiros na retirada cavalgaram sobre McClelland e era crença geral que ele foi morto onde caiu. Esse, entretanto, não foi o caso. [27] O restante da divisão tornou-se desorganizado e em pânico e, desconsiderando as ordens de McClelland de seguir o avanço em uma coluna sólida, não seguiu a rota prescrita, tornando-se emaranhado nos pântanos. [28]

John Slover, um dos guias da Expedição Crawford, viu o corpo de McClelland em Wapatomica. Os índios pintaram seu corpo de preto, cortaram-no com suas machadinhas e abriram buracos com cargas de pólvora. Seu corpo foi cruelmente mutilado com o sangue misturado com pólvora e ficou preto. O corpo de McClelland, junto com o corpo de William Harrison, genro do coronel Crawford, e o corpo do jovem William Crawford, sobrinho do coronel, foram arrastados aproximadamente duzentos metros para fora da cidade. Os cadáveres foram entregues aos cães, exceto seus membros e cabeças, que foram montados em mastros. [29]

O jovem William Crawford, William Harrison e o major John McClelland perderam a vida nas mãos dos índios Delaware e Shawnee. O coronel Crawford foi brutalmente torturado e queimado na fogueira. [30] De acordo com Fitzpatrick, os índios Shawnee eram liderados pelo Chefe Blacksnake.

Uma placa emitida pelo governo em homenagem ao tenente-coronel John B. McClelland foi instalada onde sua esposa, Martha Dale McClelland (1741 & # x20131822) filho, John B McClelland (1766 & # x20131849) e nora, Rachel Orr McClelland ( 1770 & # x20131843) estão enterrados, no Cemitério da Igreja Presbiteriana Tent (275 Tent Church Road, Uniontown, PA 15401).

  • 1. ^ Albert, História do condado de Westmoreland, Pensilvânia, com esboços biográficos de seus pioneiros e homens proeminentes p. 79
  • 2. ^ Boucher, History of Westmoreland County, Pennsylvania, Volume I, Capítulo IX: "The Beginning of the Revolution." 129
  • 3. ^ Dunn, Escolhendo Lados na Fronteira na Revolução Americana. p. 48
  • 4. ^ Everton, The Genealogical Helper, Volume 37 p. 42
  • 5. ^ Ellis, History of Fayette County, Pennsylvania, Capítulo XI: & quotThe Revolution. & Quot p. 108
  • 6. ^ Butterfield, um relato histórico da expedição contra Sandusky sob o comando do coronel William Crawford em 1782, 345 & # x2013347.
  • 7. ^ Historical Society of Pennsylvania, The Pennsylvania Magazine of History and Biography, & quotVolume 4. & quot p. 93
  • 8. ^ Butterfield, um relato histórico da expedição contra Sandusky sob o coronel William Crawford em 1782, 123.
  • 9. ^ Boucher, History of Westmoreland County, Pennsylvania, Volume I, Capítulo IX: "The Beginning of the Revolution." 129
  • 10. ^ Leckey, The Tenmile Country e suas famílias pioneiras: A Genealogical History of the Upper Monongahela Valley. p. 31
  • 11. ^ Jordan, Genealogical and personal history of western Pennsylvania, & quotVol. 3. & quot p. 1174.
  • 12. ^ Gelbert, American Revolutionary War Sites, memoriais, museus e coleções de bibliotecas: A State-by-State Guidebook to Places Open to the Public, 42.
  • 13. ^ Kleber, The Kentucky Encyclopedia, 591.
  • 14 ^ Historical Society of Pennsylvania, The Pennsylvania Magazine of History and Biography & quotVolume 4. & quot p. 93
  • 15. ^ Boucher, History of Westmoreland County, Pennsylvania, Volume I, Capítulo XXIII: & quotBench and Bar. & Quot pp. 322 & # x2013323.
  • 16. ^ Secretário da Comunidade da Pensilvânia, Arquivos da Pensilvânia, Volume X, Série II: & quot Quarto Batalhão da Pensilvânia, Coronel Anthony Wayne, 3 de janeiro de 1776 & # x2013 24 de janeiro de 1777. & quot p. 138
  • 17. ^ Arquivos do estado da Pensilvânia, arquivo de cartão abstrato militar da guerra revolucionária. Série # 13.50.
  • 18. ^ Boucher, History of Westmoreland County, Pennsylvania, Volume I, Capítulo IX: "The Beginning of the Revolution." 129
  • 19. ^ Secretário da Comunidade da Pensilvânia, Arquivos da Pensilvânia, Volume IV, Série II: & quotPapers Relacionados ao que é conhecido como a Insurreição do Uísque no Oeste da Pensilvânia. & Quot p. 212-215, 233.
  • 20. ^ Hassler, Old Westmoreland & # x2013 Uma História da Pensilvânia Ocidental Durante a Revolução, 134.
  • 21. ^ Secretário da Comunidade da Pensilvânia, Arquivos da Pensilvânia, Volume II, Série VI: & quotBattalions Not Stated Westmoreland County Militia. & Quot p. 385.
  • 22. ^ Butterfield, um relato histórico da expedição contra Sandusky sob o coronel William Crawford em 1782, 77.
  • 23. ^ Crumrine, História do Condado de Washington, Pensilvânia, 115.
  • 24. ^ Butterfield, um relato histórico da expedição contra Sandusky sob o coronel William Crawford em 1782, 123.
  • 25. ^ Butterfield, um relato histórico da expedição contra Sandusky sob o coronel William Crawford em 1782, 123.
  • 26. ^ Brown, The Battle of Sandusky: June 4 & # x20136, 1782. Western Pennsylvania Historical Magazine 65 (abril de 1982), 142.
  • 27. ^ Butterfield, um relato histórico da expedição contra Sandusky sob o coronel William Crawford em 1782, 221 & # x2013223.
  • 28. ^ Ellis, History of Fayette County, Pennsylvania, Capítulo XI: & quotThe Revolution. & Quot p. 99
  • 29. ^ Butterfield, um relato histórico da expedição contra Sandusky sob o coronel William Crawford em 1782, 345 & # x2013347.
  • 30. ^ Ellis, History of Fayette County, Pennsylvania, Capítulo XI: & quotThe Revolution. & Quot p. 108

Albert, George Dallas. História do condado de Westmoreland, Pensilvânia, com esboços biográficos de seus pioneiros e homens proeminentes. H. Everets & amp Co., Philadelphia, 1882.

Boucher, John N. History of Westmoreland County, Pennsylvania. Nova York: The Lewis Publishing Company, 1906. Disponível on-line no Google Books.

Brown, Parker B. The Battle of Sandusky: 4 de junho & # x20136, 1782. Western Pennsylvania Historical Magazine 65 (abril de 1982): 115 & # x2013151.

Brown, Parker B. Reconstrucing's Army of 1782 Western Pennsylvania Historical Magazine 65 (janeiro de 1982): 17 & # x201336.

Butterfield, Cônsul Willshire. An Historical Account of the Expedition Against Sandusky Under Col. William Crawford in 1782. R. Clarke & Co, 1873. Available Online from Google Books.

Crumrine, Boyd. History of Washington County, Pennsylvania. Philadelphia: L.H. Everts and Co., 1882. Available Online from the University of Pittsburgh Digital Research Library.

De Rosenthal, Gustavus. Journal of a Volunteer Expedition to Sandusky: From May 24 to June 13, 1782. Ayer Co Pub, 1969.

Dunn, Walter Scott. Choosing Sides on the Frontier in the American Revolution. Praeger, 2007.

Eckert, Allan. That Dark and Bloody River. Bantam Books, 1996.

Everton, Walter M. The Genealogical Helper, Volume 37. Everton Publishers, Inc., 1983

Fitzpatrick, Alan. Wilderness War on the Ohio. Fort Henry Publications, 2003

Ellis, Franklin. History of Fayette County, Pennsylvania. Philadelphia: L.H. Everts and Co., 1882. Available Online from the University of Pittsburgh Digital Research Library.

Gelbert, Doug. American Revolutionary War Sites, Memorials, Museums and Library Collections: A State-by-State Guidebook to Places Open to the Public. McFarland & Company, 2003.

Hassler, Edgar Wakefield. Old Westmoreland: A History of Western Pennsylvania During the Revolution. Kessinger Publishing LLC, 2009.

Heitman, Francis Bernard. Historical Register of Officers of the Continental Army During the War of the Revolution. Washington D.C.: The Rare Book Shop Publishing Co., Inc, 1914.

Historical Society of Pennsylvania. The Constitutional Convention of 1776. Biographical Sketches of Its Members. The Pennsylvania Magazine of History and Biography Vol. 4. 1880.

Kleber, John. The Kentucky Encyclopedia. University Press of Kentucky, 1992.

Montgomery, Thomas Lynch. Pennsylvania Archives. Harrisburg: C.E. Aughinbaugh, Printer to the State of Pennsylvania, 1914.

Washington, Irvine, & Butterfield. Washington-Irvine Correspondence: The Official Letters Which Passed Between Washington And William Irvine. David Atwood, 1882.


The McClellans – letter from a daughter to a mother

McClellan Letter courtesy, Linda Coleman, Coleman Antiques, Claremore, Oklahoma

While visiting Coleman Antiques in Claremore, I came upon this interesting letter from a daughter to a mother. Of course the address intrigued me as it was a Claremore address and a familiar Claremore sur name. Linda Coleman generously gave the letter to me. I eagerly took it home to Explore its Claremore History. The letter is transcribed below with a little additional information of this significant Claremore family’s history. We hope you enjoy reading this sweet daughter to mother letter, on this lovely Mother’s Day.

From: B.L.M., 830 N.E. 17 th, Okla City, Okla

To: Mrs. Ethel V. McClellan[1], 1100 N. Seminole Ave., Claremore, Oklahoma

Postmark: Oklahoma City, Okla., March 12 6pm 1939

United States Postage – Thomas Jefferson 1809 – 3 cents 3

I’m all settled in my new shed & am quite proud of myself – Haven’t called Bessie yet cause I found this place & just up & takes it – Course I had to pay a months rent in advance – I’m staying with Mrs. Montgomery who also works at the capital – you know she’s a good friend of Ann Ross – & her son (who helped me unpack) used to go with Vinita Mae Cherrington (?). You know Mrs. Cherrington asked you to find out about the boy when he was going with Vinita Mae – He went to O.M.A. – and we have been striking up acquaintances & know a lot of people – Have a large southwest room – 5 windows, fair sized closet – chest of drawers – vanity dresser – bookcase – two chairs – one is real comfortable & the other one isn’t bad – end table – the bed seems pretty good – course I haven’t tried it out yet – lovely tile bath room with a shower – I can use the garage as they don’t have a car – I pay $15 a month – one nice thing I’m just a few houses up & across the street from your ole friend Mrs. Hagel – I must drop over & call on her – & give her your regards –

My address is 830 N.E. 17 th . Now all I have to do is sound out how much I make so I can figure out how much I have to save each week – Guess I have to save $7 each week for the car & $4 each week for rent – The boy is going to put a Yale lock on the side door which is on the driveway & I am going to have a key all by myself – Till he gets it fixed I’ll have a key to the front door – They have a snazy (?) place to so my washing with tile floor. Has two square tubs – hot & cold water & a drain in the floor – Don’t have to move anything – Have a pretty new white blanket on my bed, satin bound I don’t see how I do it – The room is real nice looking – I imagine she’s about Ann Ross’s age – I like her fine – She said if I want anything to just yell – She’s going to have her son put a towel rack on the back of my closet door to hang my wash rag and towel on – Anyhow I’m real pleased with my find as you can tell –

Had a rough time coming down last night – I stopped at Marjorie[2] & stayed with her till about 4:30 – I was scared to death for her & was so glad I stopped by – She & Diane[3] started out the back door to hang up some cloths & of all things there was a snake on the back steps or between the screen & the door – Diane was standing pointing at it before Marjorie saw it – I hope it doesn’t have an effect on little brother – It’s a wonder she didn’t lose it right there – Finally the people next door came home & she yelled for them & they came & killed it – I think those little kids playing around there must have put it there – I could gladly have killed all of them – I went out in the yard & got all her stuff & took her over & we had a Coke & chin…d (?) & kinda got her calmed down before I left – Louise was sweet she called 2 times to see if Marjorie was okay – By the time I finally got off the dust storm started & I had to fight the wind & the dust all the way – Had to drive with my lights on all the way – I had to pull so hard keeping the car in the road I guess it made me nervous or something cause I had to stop in Tulsa, Bristow, Chandler, & Edmond & go to the johnny –

Did the girls come or was your house cleaning in vain – Seems a daughter just blew in & has been trying to get Bubba to hurry up & get out of the Bathroom –

Be sure & write to me & tell all the family my address – I’ll try to write often but I won’t have much for stamps – Maybe I can [fleece] Bessie out of some –

Be good & take a little better care of yourself –

The writer of this letter, 22-year-old Betty Lou McClellan, was born March 21, 1916. Her parents were her father, John “Sos” Foreman McClellan (1872 – 1949),[5] and her mother, Ethel V. Dennison McClellan (1887 – 1961), to whom this letter was addressed. Her siblings were Marjorie Ethel McClellan Funk (1912 – 2000) who married Everette Myron Funk (1908 – 1964) and had daughter Marjorie Diane Funk Lazelle (1937 – 2008) by this time and John Foreman McClellan (1914 – 2001)[6] who married Mary Jane McClellan (1918 – 1898)[7].

This letter was addressed to Mrs. Ethel V. McClellan, Betty Lou’s mother, and postmarked March 12, 1939, in Oklahoma City. Betty Lou had just arrived in Oklahoma City, renting a residence from Mrs. Montgomery for $15 a month. Betty Lou was writing to her mother who lived at 1100 North Seminole Avenue, Claremore, Oklahoma, telling her mother about her new home and the driving adventure she encountered getting to Oklahoma City.

Apparently, while on her journey driving from Claremore to Oklahoma City, Betty Lou stopped off to visit her sister and niece in Tulsa, Oklahoma, as they encountered a snake at their back door. Betty Lou also drove through a strong dust storm during her trip west.

According to John Foreman McClellan, Jr. in his McClellan family article (#351) written in The History of Rogers County Oklahoma, Betty Lou never married and at one point lived in California.[8] She died August 27, 2001, at age 85 and was laid to rest in Claremore’s Woodlawn Cemetery.

by Christa Rice, Claremore History Explorer

[1]Ethel V. Dennison McClellan. Birth 1887, Illinois, USA. Death 1961 (aged 73 – 74).

Burial Woodlawn Cemetery, Claremore, Rogers County, Oklahoma. Plot CP2-22-L6.-5E. Spouse” John (SOS) Foreman McClellan (1872 – 1949) m. 1910. Children: Marjorie Ethel McClellan Funk (1912 – 2000) John Foreman McClellan (1914 – 1986) Betty Lou McClellan (1916 – 2001).

[2]Perhaps – Marjorie Ethel McClellan Funk. Birth 15 June 1912, Claremore, Rogers County, Oklahoma. Death 18 June 2000 (aged 87), Austin, Travis County, Texas. Burial Memorial Park Cemetery, Tulsa, Tulsa County, Oklahoma. Spouse: Everett Myron Funk (1908 – 1964). Children: Marjorie Diane Funk Lazelle, [Douglas, David, and Richard.] * https://www.findagrave.com/memorial/191410589/marjorie-ethel-funk. Accessed: April 18, 2019.

*McClellan, John. “Charley McClellan – 350.” The History of Rogers County, Oklahoma. Claremore College Foundation. 1979

[3]Perhaps – Marjorie Diane Funk Lazelle. Birth 2 September 1937, Oklahoma. Death 15 October 2008 (aged 71), Austin Travis County, Texas. Burial Memorial Park Cemetery. Tulsa, Tulsa County, Oklahoma. https://www.findagrave.com/memorial/191410602/marjorie-diane-lazelle. Accessed: April 18, 2019.

[4]Betty Lou McClellan. Birth 21 March 1916. Death 27 August 2001 (aged 85). Burial Woodlawn Cemetery, Claremore, Rogers County, Oklahoma. Plot CP2-22-A1.-6. https://www.findagrave.com/memorial/34662282/betty-lou-mcclellan. Accessed: April 18, 2019.

[5]John Foreman McClellan. “Sos”. Birth 1872. Death 1949 (aged 76 – 77). Burial Woodlawn Cemetery, Claremore, Rogers County, Oklahoma. Plot CP2-22-L6.-6E. https://www.findagrave.com/memorial/34223701/john-foreman-mcclellan. Accessed: April 18, 2019.

[6]John Foreman McClellan, Jr. Birth 30 March 1914. Death 12 March 1986 (aged 71). Burial Woodlawn Cemetery, Claremore, Rogers County, Oklahoma. Plot CP2-22-L6.-4E. https://www.findagrave.com/memorial/34226074/john-foreman-mcclellan. Accessed: April 18, 2019.

[7]Mary Jane McClellan. Birth 11 Mar 1918. Death 27 Aug 1989 (aged 71). Burial Woodlawn Cemetery, Claremore, Rogers County, Oklahoma. Plot CP2-22-L6.-3E.

[8] McClellan, John Foreman, Jr. “McClellan – 351.” The History of Rogers County, Oklahoma. Claremore College Foundation. 1979


History Minute: John McClellan

The Arkansas River flows across four states, from the Rocky Mountains in Colorado, across the plains of Kansas and Oklahoma, and into Arkansas before emptying into the Mississippi River. Though its importance to Arkansas has always been unquestioned, leaders in Oklahoma and Arkansas began to realize by the 1920s and 1930s that it could it could be so much more. Through the tireless efforts of two men – John McClellan and Robert Kerr – this dream became a reality with the construction of the McClellan-Kerr Arkansas River Navigation System.
Since the early 1920s, business and political leaders in both Arkansas and Oklahoma had discussed development of the Arkansas River as an economic tool for both states. The river had been used for shipping for generations, but the buildup of silt in the river made navigation difficult for modern ships. It was believed that this could be corrected and a series of hydroelectric dams could be built along the river to contain flooding problems and provide electricity for the region.
In the 1930s, attempts were pushed by business and political leaders in Arkansas and Oklahoma to fund a series of locks, dams, and dredging projects for the Arkansas River, but the plans were scuttled when engineers questioned the feasibility of the project.
In Arkansas, former prosecutor and former congressman John L. McClellan was elected to the U. S. Senate in 1942. The Sheridan native was a powerful and respected figure in the state for decades. Though a man of many accomplishments in the Senate, he worked to ensure that funding for development projects and infrastructure steadily came to Arkansas. In 1946, he won approval for the project in the Rivers and Harbors Act.
Sen. Robert S. Kerr of Oklahoma had been a tireless advocate for the development of Oklahoma since his beginnings as an oilman and his tenure as governor between 1943 and 1947. He saw the development of the waterways of the Arkansas River across the heart of his own state as a potential windfall for Oklahoma’s economy. When he entered the U. S. Senate in 1949, he made it a key priority for his state.
However, in 1954, Senate Republicans all but killed the riverway, pushing it aside for further study. When Democrats reclaimed control of the Senate in 1955, Kerr and McClellan returned funding for the Arkansas River project in a highway appropriations bill. The Oklahoma Democrat died in 1963 while McClellan made sure that support for the project continued.
The river plan would begin with a series of locks and dams, starting on the Verdigis River branch of the Arkansas River just east of Tulsa and following the Arkansas River to the Mississippi River. The river was expanded and straightened in several places to increase the flow of the river and prevent the buildup of silt. Ultimately, seventeen locks and dams were built at a cost of $1.3 billion to control river elevation and help transport of goods along the river. Thousands of people worked tirelessly to complete what was then called the Arkansas-Verdigris Waterway.
The Blue Mountain Dam is western Arkansas near Mount Magazine was completed in 1947 as the first stage of the project, creating Blue Mountain Lake. Keystone Lake and Eufaula Lake were created in eastern Oklahoma in the late 1960s to help control water levels in the navigation system. The Kerr Reservoir, a vital portion of the system in eastern Oklahoma, was completed in 1970.


Biography of John McClellan

John McClellan, one of the earliest pioneers of Boise, Idaho, is a native of Ohio, born in Licking County, March 16, 1827, of Irish and English extraction, his paternal ancestors being Irish, his maternal, English. John McClellan, his father, was born in Ireland in 1777, and in the year 1820 came to America, landing at New York, where he remained for some time and where he was married to Miss Amanda Reed, a native of New York and a daughter of English parents. From New York they removed to Dresden, Ohio, where they resided until 1850 in which year he and his wife and seven children crossed the plains to Oregon, John, the subject of this sketch, at that time being twenty-two years of age. That year many of the overland emigrants died of cholera, and several of the company with which the McClellan family traveled were victims of that dread disease and were buried by the wayside, among them an aunt of our subject. His immediate family, however, made the trip in safety, and stopped first at Milwaukee, on the Willamette River, six miles above Portland. Later they removed to Yam Hill County and settled on a farm, where the father spent the rest of his life and died at the age of eighty-eight years. Of his family of seven who crossed the plains in 1850, only four are now living, John and three sisters.

From Dayton, Oregon, in 1863, John McClellan, the subject of our sketch, came to Boise, arriving on the 6th of May, or, rather, came to where Boise is now located, for this place was then a wilderness and there were plenty of Bannack Indians camped near the river. The military post was not located until the 7th of July following the state capital a little later. Mr. McClellan’s trip from Oregon to this place was made with an ox train. He mined in the Owyhee, without success, however, and was at the Florence mines for a short time, when he took out forty dollars per day, after which he prospected, again being unsuccessful. That same year he took a claim to a tract of eighty acres of land on the north side of the river, and built on it a log cabin, which still stands on the property in a good state of preservation, and which he intends to keep there as long as he lives. Later he built a good frame residence, the one ne now occupies, which is surrounded with large fruit trees, planted by his own hands. In the course of time the city of Boise grew out to his property and he sold thirty acres of it for three hundred dollars per acre, and on it have been built a number of residences. Mr. McClellan, soon after locating at Boise, floated logs down the river, sawed them into lumber and built a ferryboat, with which for many years he ferried the people across the river. Afterward he, in company with others, built a toll bridge, and had charge of that some three years. Both of these undertakings were a financial success. After selling them he directed his energies to farming and raising fruit and vegetables, and later gave attention to the keeping of bees, in all of which he has been fairly successful.

Mr. McClellan is a lifelong Republican, taking an intelligent interest in public affairs, but never caring for or seeking official honors. He is member of the Methodist Episcopal church and was one of the early trustees of the church at Boise. His sister. Miss Letta Ann, who came to Boise in 1867, is his housekeeper, both having remained unmarried. In their pleasant home they extend to their neighbors and many friends that genial hospitality so characteristic of the west.


Imagens de alta resolução estão disponíveis para escolas e bibliotecas por meio da assinatura da American History, 1493-1943. Verifique se sua escola ou biblioteca já tem uma assinatura. Ou clique aqui para mais informações. Você também pode solicitar um pdf da imagem conosco aqui.

Gilder Lehrman Collection #: GLC02499.04 Author/Creator: Cleaveland, Moses (1754-1806) Place Written: Canterbury, Connecticut Type: Autograph letter signed Date: 3 May 1803 Pagination: 1 p. : address : docket 32 x 20 cm.

Discusses the business and legislative needs of Norwich & Woodstock Turnpike Company, which has "persons willing to trade the Shares of the Road from our Turnpike Road to the Massachusetts Line." Cleaveland was the company president. Address identifies the recipient as Major John McClallan of Woodstock. He is probably John McClellan of Woodstock, Connecticut, son of General Samuel McClellan.

Aviso de direitos autorais A lei de direitos autorais dos Estados Unidos (título 17, Código dos Estados Unidos) rege a realização de fotocópias ou outras reproduções de material protegido por direitos autorais. Under certain conditions specified in the law, libraries and archives are authorized to furnish a photocopy or other reproduction. Uma dessas condições específicas é que a fotocópia ou reprodução não deve ser "usada para nenhuma finalidade diferente de estudo privado, bolsa de estudos ou pesquisa." Se um usuário fizer uma solicitação ou usar posteriormente uma fotocópia ou reprodução para fins que excedam o “uso justo”, esse usuário pode ser responsabilizado por violação de direitos autorais. This institution reserves the right to refuse to accept a copying order if, in its judgment, fulfillment of the order would involve violation of copyright law.

(646) 366-9666

Headquarters: 49 W. 45th Street 2nd Floor New York, NY 10036

Nossa coleção: 170 Central Park West New York, NY 10024 Localizado no nível inferior da Sociedade Histórica de Nova York


Assista o vídeo: John McClellan: Francisco Tárrega Medley: Lagrima, Adelita, u0026 Alborado The Little Music Box


Comentários:

  1. Willamar

    Você tem uma escolha difícil

  2. Aisford

    Eu acho que você cometeu um erro. Eu posso provar. Escreva para mim em PM.

  3. Daikasa

    This variant does not approach me.

  4. Floinn

    Eu posso dar-lhe consultoria para esta questão.

  5. Moogugore

    em casa com uma mente curiosa :)

  6. Dor

    Obrigado. Li com interesse. Blog adicionado aos favoritos =)



Escreve uma mensagem